"A DUVIDOSA MORTE DE CLEBER GODINHO

Por Elisabeto Ribeiro Gonçalves

Cleber nos deixou na manhã de 02 de janeiro de 2018.  A manhã belorizontina nasceu de céu claro, morna, inteira de sol, pulsando de vida e alegria. A mesma vida, a mesma alegria que sempre transbordaram do coração de Cleber. Mas, mesmo assim, Cleber Godinho resolve nos acenar com um adeus. Definitivo, para sempre? Não sabemos, temos nossas dúvidas sobre se essa despedida é pra valer.

Primeiro, porque por tudo que Cleber foi e representou para a família, os amigos, a Oftalmologia e, especialmente, a Contatologia brasileiras, Cleber continuará entre nós, atuante, produtivo, criando e ensinando, dando um permanente exemplo de competência, generosidade, lisura e fraternidade. Depois, porque os amigos queridos (e ele é um desses) nunca partem sozinhos, sempre levam um pouco de nós com eles. 

Tantos anos de estudos, dedicação e divulgação dos conhecimentos e da prática contatológica concorreram para o crescente prestígio da especialidade entre nós, valorizando as lições deixadas pelos mestres que o antecederam. O “Curso Cleber Godinho”, de lentes de contato, o primeiro em julho/97 chegou, em 2015, a sua 21ª edição, formando 3.419 alunos. Atestando sua alta qualidade científica e didática, o Curso despertou tanto interesse que vários Colegas o repetiram 3-5 vezes, em anos alternados. Competente, seguro, carismático e desprendido, esses dados respaldam o reconhecimento de que Cleber deixou a maior escola brasileira de Contatologia. 

Não vai nenhum exagero com o reconhecimento de que foi Cleber Godinho quem maior contribuição deu ao desenvolvimento racional da Contatologia entre nós. Cleber costumava nos dizer que sua satisfação de ensinar adivinha da oportunidade de formar bons alunos e concorrentes melhores que ele. 

Parte de uma mensagem no whatsapp de sua filha, Isabela Godinho, também oftalmologista, nos diz muito bem do que foi seu pai, de sua importância para a Contatologia, para os amigos e clientes: para todos, Cleber Godinho foi um ser humano alegre, honesto, de muita luz, um médico de homens e de almas. Para os oftalmologistas ele será eternamente o Mago das Lentes de Contato, o Papa das Lentes, o Professor Cleber Godinho, aquele que viajou o país inteiro ensinando lentes, espalhando luz e amor!

O Instituto de Olhos de Belo Horizonte (IOBH) sente-se particularmente triste com o desaparecimento do querido Colega, amigo, sócio e colaborador incansável desde sua inauguração em 1992. Durante 26 anos Cleber esteve conosco, solícito e solidário. Perdê-lo agora nos deixa um vazio imenso, um sentimento de desamparo, muito próximo ao da orfandade.

A propósito da morte, Rosa, ao mesmo tempo em que afirma, interroga: “a morte é para os que morrem. Será?” Essa dúvida rosiana é também nossa: Cleber nos leva na imensa saudade que deixa e fica na lembrança indelével do amigo que sempre estará conosco. Mesmo porque a poesia de Vinícius nos ensina que “da morte, apenas nascemos, imensamente.”  Por isso, não acreditamos que Cleber (nosso Clebim) tenha partido. Amanhã estaremos juntos no consultório, ouvindo suas histórias engraçadas, deixando-nos contagiar com seu bom humor, sua vivacidade, seu arraigado amor à vida. Ao fim de um costumeiro, saudável e divertido papo, costumávamos pedir a ele o que repetimos agora: não some não, Clebim!

Os oftalmologistas brasileiros e mineiros, esses reunidos na Sociedade Mineira de Oftalmologia, da qual era membro-titular e à qual sempre emprestou   a força de seu prestígio e  entusiasmo, e o Instituto de Olhos de Belo Horizonte, lamentam o desaparecimento do nosso Cleber Godinho e se solidarizam com a família (Ana Maria, sua esposa, seus filhos, nora e neto, Juliana, Isabela, Rodrigo, Ana Paula e João Vítor), clientes e amigos."

  • Preceptor voluntário dos serviços de córnea, cirurgia refrativa e doenças externas do Hospital São Geraldo desde 1997
  • Formado em Administração Hospitalar pela Fundação São Camilo
  • Presidente da COOESO MG - 2006 a 2008
  • 1º Presidente da AMO - MG (Associação dos Médicos Oftalmologistas)
  • Criador / Coordenador do Curso Cléber Godinho de Lente de Contato, em sua XI Edição
  • Homenageado pela Sociedade de Oftalmologia do Cone Sul pela contribuição no desenvolvimento de Lente de Contato no País
  • Agraciado com a medalha da Inconfidência Mineira
  • Professor da Faculdade Estácio de Sá em Administração Hospitalar



CURSO MÉDICO: Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte 1969 a 1973.

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM OFTALMOLOGIA: Clínica Oftalmológica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais, Serviço do Professor Hilton Rocha, de 1974 a 1976.

FELLOWSHIP: Estágios em Córnea, Doenças Externas, Cirurgia Refrativa, Catarata, Lente de Contato e Neuro-oftalmologia, no hospital São Geraldo (Faculdade de Medicina – UFMG)