Hipermetropia

Hipermetropia é um erro de refração (ametropia) em que o indivíduo não enxerga bem para perto. Geralmente a visão para longe é boa pois o foco automático do olho (acomodação) pode compensar a pouca convergência dos raios luminosos. Com a idade há diminuição da acomodação e a visão pode também ficar ruim para longe.

Causas


Na grande maioria dos casos a hipermetropia ocorre porque os olhos são menores (mais curtos) que o normal e a imagem se forma depois da retina. Em uma minoria ocorre pela pouca convergência das lentes naturais do olho (cristalino e córnea) - mas o resultado é o mesmo, a imagem está focada em um plano mais posterior ao da retina. A hipermetropia é uma condição hereditária.
Muitas crianças tem hipermetropia, que diminui com a idade: o próprio crescimento do olho faz com que a retina e o foco da imagem coincidam.

 
Olho Emétrope
O foco se localiza na retina
Olho Hipermétrope
O foco se localiza depois da retina 

Tratamento

Se no olho hipermétrope a imagem se forma atrás da retina, a correção consiste em aumentar a convergência dos raios trazendo a imagem mais para frente, em direção da retina. Como a miopia, a correção da hipermetropia pode ser feita com óculos, lentes de contato, cirurgias corneanas e lentes intra-oculares.
Óculos e lentes de contato são a primeira opção para o tratamento. Dependendo de cada caso podem ser usados continuamente ou somente para leitura, computador.
Em certos momentos poderá haver indicação para cirurgia com laser (LASIK, PRK) para remodelar a córnea, tornando-se mais convergente.
As lentes intra-oculares fácicas (sem remoção do cristalino) pode ser uma opção em casos muito especiais. A tendência hoje é optar pela substituição do cristalino por uma lente intra-ocular multifocal (facorrefrativa). Uma boa opção para os hipermétropes após os 40 anos que começam a apresentar os sintomas de vista cansada (presbiopia).

#COMPARTILHE nossas publicações

Navegue por mais Problemas Oculares.