Prevenção da Cegueira (ou da Deficiência Visual Grave)

Os olhos, a visão, exigem cuidados mesmo antes do nascimento. Por exemplo, é muito importante que os pais (principalmente a mãe) tenham conhecimento de que certas doenças contagiosas (passíveis, portanto, de prevenção) podem danificar os olhos da criança se adquiridas durante a gestação - como é o caso da Rubéola e da Toxoplasmose.

O conhecimento da história de problemas oculares congênitos hereditários na família de um dos pais permite que, logo que a criança nasça, pesquizemos e façamos um diagnóstico precoce do problema se presente - o diagnóstico precoce permitiria o tratamento em tempo hábil para se salvar a visão. Os exemplos típicos são o glaucoma e a catarata congênitos.

Independentemente dos problemas hereditários, o exame e cuidados adequados com os olhos são importantes já ao nascimento. Querem um exemplo? Infecção grave dos olhos por doença venérea das mães era responsável por inúmeros casos de cegueira em crianças recém-nascidas até o final do século passado – a Oftalmia Neonatorum. Um médico alemão, F. Credé, instituiu uma rotina nos berçários que simplesmente fez desaparecer o problema em todo o mundo. O método, que leva o seu nome, consistiu na instilação de uma simples gotinha de nitrato de prata - um antisséptico - nos olhinhos dos bebês logo após o nascimento.

Vamos caminhar no tempo e acompanhar o nosso bebê que, graças a Credé, escapou de ficar cego. Veremos que os perigos, as ameaças estarão rondando por toda a vida...

Criança ainda, ele pode desenvolver um problema sério, difícil de ser detectado pelos pais: a ambliopia. O que é ambliopia? É o olho “preguiçoso”, que não enxerga bem porque não foi treinado, não foi estimulado. Até os 7-8 anos tem recuperação e cura - após esta idade não haverá mais solução! Mas como a criança desenvolve a ambliopia? Duas são as causas mais frequentes: um grau alto em um dos olhos (anisometropia) e o olho torto (estrabismo).

E a nossa criança, não tendo isso estará mais segura? Não, não estará. A faixa dos 3 aos 10-12 anos é um dos períodos da vida mais sujeita aos acidentes domésticos: são projéteis, objetos pontiagudos, explosões de garrrafas de refrigerantes e brinquedos perigosos, inadequados.

Ainda nesta fase da vida não podemos, principalmente neste nosso Brasil, nos esquecermos da subnutrição e das doenças carenciais que podem afetar gravemente a visão. O exemplo clássico é a avitaminose A que causa cegueira noturna e outros problemas oculares. Também não podemos deixar de alertar para a Síndrome da Criança Maltratada: não é incomum trauma nos olhos dessas crianças vítimas de pais desajustados.

A nossa criança já é um jovem adolescente ou um adulto jovem. Agora os traumas oculares são mais frequentes nos esportes e nos acidentes de trânsito. Sabemos todos que o cinto de segurança salva, a todo instante, centenas de vidas - o que talvez vocês não saibam é que o cinto de segurança salva a todo instante um sem número de olhos. É com o rosto que quebramos o para-brisa quando somos lançados para frente em caso de uma colisão...

Outros perigos? Sim, muitos outros. A sexualidade explode na puberdade e um perigo se nos apresenta, muito mais grave, já que é a vida que está em jogo: a AIDS. O exame de fundo de olho pode eventualmente, detectar a AIDS e permitir o diagnóstico da doença - E hoje, com o panorama que se descortina, com grande otimismo para se conseguir o controle da doença, o diagnóstico precoce é muito importante.

Na vida adulta, os perigos são também os mais variados. Nessa fase os nosso personagem convive com os perigos dos acidentes no trabalho. Os riscos obviamente vão variar enormemente, dependendo da profissão: serralheiros, marceneiros, trabalhadores da construção civil, da indústria química, fotógrafos, etc. Também nessa fase os acidentes de trânsito continuam frequentes. Aproveitamos para mencionar as conjuntivites infecciosas que são frequentes nesta e também em todas outras fases da vida. O conhecimento de que as conjuntivites epidêmicas são causadas por vírus ou bactérias, e contagiosas, é muito importante na prevenção do contágio - e no controle da própria epidemia. A educação, o conhecimento de medidas de higiene são importantíssimas... Um exemplo típico são as conjuntivites que acontecem em Belo Horizonte, logo após as férias de janeiro, trazida por amigos que aproveitaram nossas praias e se contaminaram em suas águas poluidas.

Na medida que o nosso heroi envelhece e adentra os 40 anos os seus problemas começam a se agravar. Começam os problemas conectados ao processo de envelhecimento.

É nessa década que o terrível glaucoma começa a ser mais frequente.

Afinal, qual a importância do glaucoma, tão famoso que é?! Várias!

Primeiro, porque cega e, pior, não nos avisa da sua presença. É um ladrão que caminha com pantufas. Somente quando 90% do nervo óptico já foi comprometido é que as pessoas começam a sentir pertubações visuais.

Segundo, porque o que glaucoma nos rouba de visão não conseguimos mais recuperar - mas o tratamento consegue controlar a progressão da doença.

Terceiro, porque é frequente: 1,5% da população geral tem o problema! Traduzindo, o Brasil tem mais de 2.000.000 portadores da doença. A grande Belo Horizonte, 60.000.

Também nesta idade e nas décadas seguintes começam a ficar mais frequentes as complicações visuais causadas pelo Diabetes. Todos vocês conhecem a doença terrível de é o diabetes: problemas circulatórios, renais com as deprimentes hemodiálises. A vida do paciente diabético mais grave é terrível, mas será muito mais terrível se ele ficar cego.

O diabetes é o exemplo típico da doença que o diagnóstico precoce e o bom controle (do metabolismo do açúcar) podem evitar complicações visuais e cegueira. Alguns dados: quanto mais mal cuidado, mais rapidamente ocorrem os problemas oculares. Após 20 anos de doença, 70-80% dos diabéticos já apresentam alguma forma de acometimento ocular. Então, é muito importante o monitoramento do fundo de olho dos pacientes diabéticos, já que o tratamento com laser pode controlar muitos dos problemas oculares.

Também na década dos 40 ocorre um fenômeno importante: é quando se inicia o processo da vista cansada. O nome científico é presbiopia e trata-se de um fenômeno fisiológico de comprometimento do foco automático do olho. Mesmo as pessoas que nunca necessitaram de óculos agora precisam para enxergar para perto. Vocês perguntam, qual a sua importância na prevenção da cegueira, já que é um fenômeno fisiológico?! A sua importância reside no fato de que nesta época ocorre a necessidade de consultar um oftalmologista. É a oportunidade que as pessoas tem, mesmo aquelas que não se preocupam com prevenção de problemas oculares, de terem o seu glaucoma, catarata, retinopatia diabética e outros problemas detectados!!!

Vejam agora a importância da luta do médico contra a venda desses óculos para vista cansada em farmácias e supermercados - inúmeros problemas não serão detectados precocemente, já que a consulta médica foi dispensada!!!

À medida que o nosso personagem avança na idade, mais e mais problemas podem atingí-lo: degenerações maculares relacionada à idade, mais catarata, mais glaucoma, mais retinopatia diabética, etc.

Falamos no início que os cuidados com os nossos olhos devem já ser tomados antes mesmo de nascermos. E dizemos agora que devem ultrapassar mesmo a nossa morte. Logo após a nossa morte eles devem ser cuidados com todo carinho para que nossas córneas possam ser transplantadas para quem as necessite - e que, esperamos, cuide bem delas: preventivamente.

Dr. Homero Gusmão de Almeida

#COMPARTILHE nossas publicações

Navegue por mais Artigos.