Ptose

Ptose palpebral significa a queda da pálpebra superior de um ou ambos os olhos. A pálpebra superior pode cobrir uma porção significativa da córnea e da pupila de modo a prejudicar a visão. Assim, além do aspecto cosmético, a ptose torna - se também um problema funcional.

O paciente, de forma inconsciente, tenta compensá - la por meio da contração da musculatura frontal elevando os supercílios e produzindo sulcos horizontais na fronte. Eventualmente, o paciente posiciona a cabeça para trás e eleva o queixo, assumindo posição de cabeça característica.
Se você acha que pode ter ptose, compare uma foto recente com outra de 10 a 20 anos atrás e você poderá ver a diferença da posição palpebral.
Os quadros de ptose podem ser subdivididos em três tipos: Ptose involucional ou Senil, Ptose Mecânica e Ptose Congênita.
É importante lembrar que um tumor ocular, afecções neurológicas ou doenças sistêmicas como a diabetes podem ser a causa de ptose palpebral.

Ptose Involucional ou Senil

Ocorre principalmente a partir dos 60 anos de idade. Resulta da desinserção do tendão do músculo elevador da pálpebra superior da face anterior do tarso. A função do músculo elevador é boa e a prega palpebral encontra-se alta.
Esse tipo de ptose pode ocorrer em pacientes mais jovens após traumas ou cirurgias oculares, quando também pode ocorrer desinserção do músculo elevador da pálpebra.

Ptose Aponeurótica

Ptose Mecânica

Pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais freqüente nos pacientes acima de 50 anos. Ocorre pelo excesso de pele nas pálpebras (que se chama dermatocálase) que promove um aumento de peso nas pálpebras superiores causando diminuição do campo visual superior e lateral, o que interfere na qualidade da visão.

Ptose Mecânica

Ptose Congênita

 É a ptose que se apresenta desde o nascimento. Pode ser uni ou bilateral e permanece constante com o passar do tempo (até que a correção cirúrgica seja realizada!). A criança com ptose congênita deve ser avaliada por oftalmologista desde o nascimento para definir a época da cirurgia. A criança que apresenta ptose importante que obstrua o eixo visual deve ser submetida à cirurgia precocemente para se evitar o risco de ambliopia. Se não há esse risco, a criança é avaliada anualmente e a decisão cirúrgica pode ser adiada por alguns anos.

Ptose Congênita

#COMPARTILHE nossas publicações

Navegue por mais Problemas Oculares.